• Alexandre Tatsuya Iida

GENGIS KHAN |ジンギスカン

Atualizado: 12 de Dez de 2019


GENGHIS KHAN (Tchinghis Khaan) título dado ao bravo guerreiro e 1º Imperador da Mongolia, Temudjin, que venceu a Muralha da China com seus valentes arqueiros.

Existem algumas teorias que ligam no nome do Comandante da poderosa tropa mongol com a comida.

A primeira é que o próprio Ghengis Khan deu a idéia de cozinhar a carne seca de carneiro, que era a ração dos soldados, umedecer com água quente e assa-los junto a vegetais e legumes que haviam ao redor. Para assar usavam o capacetes de ferro dos soldados, colocando a lenha no solo e o metal convexo em cima.

O prato foi associado ao nome de Genghis Khan pelos japoneses, por causa do alto consumo de carneiro na Mongólia. Esta teoria é bem aceita, já que não é um prato tradicional entre os mongóis. E também não faria muito sentido, os soldados cozinharem no próprio capacete. Imagina quando forem acionados para o combate. Colocariam capacetes sujos e fumegando na cabeça?

O prato foi criado em Hokkaido para popularizar a carne de carneiro na ilha. Porém muitos torciam o nariz pelo forte odor do animal. Para isso marinavam a carne no Sake e maçã ralado, que ao mesmo tempo a deixava mais macia.

A chapa para assar também foi associado aos capacetes dos soldados, pelo seu formato convexo para assar a carne e a aba que ficava em volta, recolhia o excesso do marinado e da gordura que cozinhavam os legumes dando um toque bem especial.

Enquanto assa a carne no centro, legumes como pimentão, cebola, moyashi (broto de feijão), cenoura cozinhavam ao tempero da carne assada.

Na hora de comer, tigelas com Ponzu e/ou Gomadarê (molho a base de Missô e Óleo de Gergelim) para dar o golpe final. Comer tudo isso com arroz branco fresquinho, é a melhor coisa da vida.

E nesse último feriado provei o GENGHIS KHAN receita da Família Oshita, de Biritiba Mirim. Sr. Masaharu Oshita (que é nascido em Hokkaido) e D. Kikuyo Oshita prepara uma adaptação ao nosso paladar.

Ao invés de carne de carneiro, usa-se o contra-filé bovino fatiado bem fino. Para marinar a carne, suco de limão, cebola picada, cebolinha, alho, louro, tomate, laranja, maçã, salsa, gengibre, shoyu, vinho branco, cachaça, sal e pimenta do reino. Deve ter mais coisas, mas já estava assando e não quis perder tempo.

Ele cru, já tem um perfume delicioso devido à bebida alcoólica. Assando então, fica uma espetáculo. E de tão temperado que está a carne, não precisa dos molhos finais.

Além da carne estar bem suculenta e macia, os legumes também estavam maravilhosos, principalmente o tomate. Um suco de umami.


Logo.png
LOGO BRASIL.png

© Adega de Sake 2004. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total das informações