• Alexandre Tatsuya Iida

Sakura Moti

Alguém já ouviu falar de SAKURA MOTI? Um doce fofo feito de moti com recheio de azuki envolto numa folha da cerejeira. Quem já provou fica perguntando: “Tenho que comer a folha, ou não?” Ok. Respondendo. Senão comer a folha, é o mesmo que pedir um Bauru e tirar o tomate. Peça um misto-quente, ora.

Alguns também já questionaram: “O Sakura Moti que minha avó fazia é diferente do que eu vejo na Liberdade.” Sim, pois existem 2 tipos de preparo e a seu formato também é diferente. Vejamos.



Estilo EDO (Ou CHOUMEIJI ou Kantô) 

É uma massa de moti em pó, misturado com água até ficar pastoso e assado bem de leve. O resultado é fofo e seco como um pão que envolve o Ankô (massa de azuki) como se fosse um pastel sem fechar as pontas e a folha da cerejeira abraçando o doce como um guardanapo.

Criado em 1717 em Edo (Atual Tokyo), era feito e vendido em uma barraquinha em frente ao portal do Templo Choumeij, por causa dos frondosos pés de cerejeira no seu amplo jardim.

Muitos que visitavam o o templo, queria provar o doce tomando um chá verde bem amargo. Outros queriam levar caixinhas para viagem. A procura aumentou tanto, a ponto de vender a receita para o confeiteiro do Yamamoto-yá e atender o mercado.

Esse doce é feito até hoje nas regiões de Kantô e Touhoku, região central e do norte Japão respectivamente.



Já o Estilo JOUKATA.  (Ou DOUMYOUJI ou Kansai)

O formato muda bem. Se o Sakura Moti de Edo é assado, o de Joukata é cozido à vapor. Deixa o arroz motigome de molho, depois coloca em uma bacia para tirar o execsso da água, vai para a panela e cozinha à vapor. Em seguida enquanto quente, faz os bolinhos, abre e coloca o Anko. Fechando como um bolinho de queijo, envolve com a mesma folha de cerejeira, já previamente temperada na solução de água e sal. 

Aproveitando o sucesso do Sakura Moti no estilo Edo, confeiteiros criaram essa forma diferente para concorrer ao original. 

São feitos nas regiões oeste e sul do Japão.

Bom, não é qualquer folha de Sakura (cerejeira) que dá para fazer O recomendado é o OOSHIMA SAKURA, que tem flores rosadas e mais claras. Tem as folhas mais firmes e quebra menos. Mas acho que no Brasil tem mais o OKINAWA SAKURA, que são mais perfumados e até melhor, com cores mais vivas, porém em contato com o sal e a água a tendência é perder a cor.

E claro, para as pessoas que desejarem se aventurar em fazer o Sakura Moti, aqui está o link da MARISA ONO, onde ela testa os dois, com ingredientes que conseguimos aqui no Brasil. Recomendo muito!!! 

2 visualizações
Logo.png
LOGO BRASIL.png

© Adega de Sake 2004. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total das informações