• Alexandre Tatsuya Iida

Takoyaki

Atualizado: 28 de Set de 2018



Takoyaki, o bolinho de polvo assado que está conquistando cada vez mais o público brasileiro e uma unanimidade no Japão. Não há faixa etária para o consumo e muito menos classe social. Definitivamente todos comem. 

Mas muitos não sabem, que o Takoyaki é mais para um lanche, que uma refeição. Claro se comer até dizer chega vira, né? Agora o tradicional bolinho de polvo nasceu como? E o começo de tudo isso pode não fazer muito sentido, mas tentemos.


Voltaremos para o ano de 1933. O primeiro Takoyaki não tinha polvo e sim chamado de “Radio Yaki” ou “Radio Assado” (hein?), por causa do botão que tinha de discar para sintonizar o caríssimo rádio que era lançado no Japão. (que baita homenagem).


No recheio era colocado músculo de boi e “konyaku” feito de batata. Depois a massa feita de farinha e só. Mas o nome não pegou, é claro. Então passou a ser chamado de “Niku Yaki” ou “Carne Assada”e ganhou a região. 2 anos mais tarde, a carne foi substituída pelo polvo e na massa foi adicionado o ovo (de galinha), passando a ser chamada de Takoyaki.


O Takoyaki e seu antecessor foram criados pela empresa Aizu-yá situada e funcionando até hoje na Província de Osaka. O curioso que para quem é japonês, “Aizu” é uma famosa cidade de Fukushima. Claro, o fundador Tomekichi Endo nasceu na cidade e em homenagem batizou o nome da empresa. 

Para os nascidos em Osaka, dizem que um bom Takoyaki:

Não precisa de molhos e maionese.

Não suja as mãos.

Mesmo frio, tem que ser gostoso.

Mas a coisa não parou por aí. Depois do sucesso na região, o Takoyaki foi “rolando” pelo país todo...........(sei que não teve graça) e em outras regiões, o prato sofreu algumas mudanças na massa. Mas nunca no polvo. O polvo usado são das espécies “Iidako” ou “Mini Polvo” ou “Mizudako” um dos maiores polvos do mundo. Claro, para quem quer faturar, tem que fazer o bicho render, né?

O modo de fazer é bastante simples...........mas não é. Fácil mesmo é fazer a massa com farinha, ovo e dashi (caldo a base de lascas de bonito e alga kombu). Dependendo do gosto você pode adicionar gengibre vermelho, cebolinha e vai indo. O polvo, deve ser previamente cozido com pedaços de nabo. Só se usa os tentáculos. 

Na chapa com várias cavidades côncavas, despeja a massa. Coloca o pedacinho polvo em todos eles e vem a pior parte de todas. Virar o maldito bolinho!!! Com um espeto de madeira (para iniciantes) ou metal (para profissionais), como se contornasse cada círculo e ao mesmo tempo, mergulhando o espeto, vira o bolinho. Se parar no meio, já era. O líquido da superfície ainda gruda na chapa, o polvo desloca, uma merda.

Vamos supor que consiga virar, aí passa o molho específico para Takoyaki ou do seu gosto. Pode se usar molho para Tonkatsu (Milanesa de Porco), molho inglês e tal.

Depois de pronto, retire os bolinhos e transfira-os para um prato, e finalize por cima com lascas de bonito, um pouco mais de molho, maionese japonês e seja lá o que for.

CUIDADO: Imagine que cada bolinho é um planeta. Seu interior está pelando de quente. Então, quebre-o primeiro e deixa resfriar um pouco, ok?

Um bom lugar para comer Takoyaki em São Paulo?


Izakaya Issa

Rua Barão de Iguape, 89

Liberdade, São Paulo, SP 

11 3208-8819


Izakaya Matsu

Av. Pedroso de Morais, 403

Pinheiros, São Paulo , SP

11 3812-9439

0 visualização
Logo.png
LOGO BRASIL.png

© Adega de Sake 2004. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total das informações