• Alexandre Tatsuya Iida

Vestuário e a Gastronomia

Atualizado: 22 de Dez de 2019


Coisas que nós fazemos intencionalmente ou sem saber mesmo. O modo de vestir para fazer determinadas tarefas no cotidiano, inclusive para as refeições.


Conheço muitos amigos que antes do café da manhã, preferem se trocar e se arrumar antes, comer um pão, tomar um suco e ir trabalhar. Encaram a refeição já como a primeira tarefa do dia.


Já outros que acordam, comem alguma coisa e começam a se arrumar. Preferem não correr o risco da manteiga ou geléia cair na camisa, sair com migalha de pão francês na barba, etc. Toma o café, escova os dentes e sair para trabalhar.


Já, viram no escritório, pessoas sentadas no seu local de trabalho com o terno vestido. Outros como eu, a primeira coisa que faz ao sentar na cadeira é tirar o terno. Adoraria tirar a gravata também. Em uma visita à empresas japonesas, tem que ir no máximo de terno e gravata, ou no mínimo sem a gravata. Nunca que você iria de camiseta (eu vou e não quero saber)


Estávamos em 2016, em um Ryokan na província de Fukushima, no Japão. Logo depois da nossa chegada há a tradição de vestir o YUKATA 浴衣. Um kimono longo que vai até os pés, tem o Obi, como um cinto de tecido, e o HAORI 羽織 que mais parece um colete que se veste por cima do Yukata. Por mais que seja um Kimono, é da categoria mais leve e simples dos inúmeros tipos da vestimenta japonesa. Muitos japoneses dizem que é um pijama para se usar no interior dos resorts japoneses.


Claro que existe um motivo de se trocar de roupa. Primeiro é claro, o conforto. Segundo que nos Onsens, é muito fácil de se despir e vestir, antes de entrar nas termas. É como andar de roupão por todo o Ryokan. Também tem a facilidade depois de encher a cara e correr para fazer xixi. Só nessas horas que você dá graças à deus por estar de Yukata. Agora o legal mesmo é sentir o clima da tradição nipônica.


Agora o que os japoneses poderiam adaptar um pouco é o tamanho. O XG do Japão é como o G do Brasil. Imagina eu o Editor chefe da revista Prazeres da Mesa, o Ricardo Castilho (que é mais alto que eu) vestindo um Yukata apertado. Na hora de sentar no Zabuton (almofada) e cruzar as pernas, as partes estavam como Rose e Jack na proa do Titanic. De braços abertos.



Agora, eu sempre tive esta dúvida: Pode ou não, andar de Yukata fora do Ryokan. Uns dizem que não tem problema. Outros já falam que não podem, como já mencionei, é uma espécie de roupão. Você usa esse kimono inclusive para tomar banho e dormir.


Acordo a Chisako Tanji, do Tanji Kimonos, não é permitido usar o Yukata fora da hospedagem.


O que vocês ja ouviram?




Logo.png
LOGO BRASIL.png

© Adega de Sake 2004. Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução parcial ou total das informações